quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

"AS COISA BOAS ACONTECEM" (...)





fonte: pinterest



A felicidade acontece quando conquistamos o que precisamos e não quando temos tudo o que queremos, trabalhar ou cuidar para ter, tem um "sabor" especial, e devia ser uma constância na vida de todos. Embora respeite (mas não compreenda) a escolha e estados de vida de outras pessoas, mais ou menos reais... quase todos nós mentimos ou fazemos transparecer aos outros, aquilo que não sentimos ou somos na intimidade, todos gostamos de dizer: "sou tão feliz"....
 Acreditar na felicidade, simplesmente "meter" na nossa cabeça que somos felizes com o pouco que temos, e que apesar de todas as adversidades, consigamos ver as coisas belas que a vida nos dá, que são tantas... Nem os dias de chuva nos deve mudar o mau humor, devemos conseguir ver o sol no meio das nuvens, isto sim é a "arte" da vida, a verdadeira felicidade!
Simplesmente, ao ouvir todos os dias a palavra "mamã" e a dobrar, o meu coração quase que sai pela boca de tão grande que fica, nem quero imaginar para quem o sente a triplicar ou a quadruplicar....nem toda a gente pensa como eu (ainda bem), mas os" abraços de família" como a minha filha mais velha pede tanto, enchem-me a alma!!!!!



sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

ISTO É ARTE (...)


Podemos fazer muito com pouco, basta crer e saber.
Incomoda-me esta nova arte contemporânea, feia, sem talento, bizarra e até um pouco assustadora, sim, chega a meter medo, desde quando um monte de velharias, amontoados de lixo é arte?
Infelizmente seres inteligentes e capacitados neste país estão na "prateleira", se os bons Arquitectos fizessem projectos teríamos lindas casas, se Licenciados em Belas Artes tivessem oportunidades, teríamos centros urbanísticos bem decorados...se o dinheiro fosse o menos importante por uns instantes, se não fosse "deitado fora", se o verdadeiro talento fosse reconhecido, se vestissem a armadura.... o céu seria mais azul e a terra mais bonita. 
Criam-se organismos para o efeito, com postos de trabalho  que se baralham (ninguém sabe para que serve) para fazer "nim" de "nim" e o pouco "nim"que se faz ninguém vê, trabalham muito em papel burocrático, e mandam escrever no jornal da terrinha, andam pelas ruas aos "montes" em forma de passeio, fazem estudos e tiram medidas, tiram fotos...para mais tarde pagarem ideias no exterior que é pago a peso de mil de mil porque são bons...
Deixo umas fotos de uma Diva da arte, da inspiração e do bom gosto, que não precisa de "montes"....






fonte: http://amo-temilmilhoes.blogspot.pt/

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

BALANÇO

Paramos para pensar, fazemos o balanço de como foi, o que ficou por fazer e dizer e pensamos no que vai permanecer ou mudar. Tempo de pensar nos erros, nas vitórias ou simplesmente inspirar gratidão pelo pouco ou muito que somos, por estarmos juntos e equilibrados.
Novo Ano é sempre tempo de mudanças, a incerteza da vida faz parte, e porque gosto, não gosto da rotina, nem de fazer sempre o mesmo percurso todos os dias à mesma hora sem desvios. Gosto de objectivos, cortar a meta, aprender, tentar ser a melhor, gosto do cheiro a novo, pessoas novas, sítios desconhecidos.
Adoro o poema de Neruda e relembro sempre algo muda na minha vida:
"Morre lentamente quem não viaja, quem não lê....quem se torna escravo do hábito...."
O próximo ano vai ser diferente, abre-se uma janela, e esquece-se a mediocridade, um ano que espero melhor, ou tão bom como o anterior e que cumpra com saúde a minha lista infindável de tarefas a cumprir:
  • ler muito
  • um curso novo
  • correr todos os dias
  • mais mãe
  • mais mulher
  • mais eu
  • deixar o sol entrar
Para família e amigos desejo um ano com muita saúde, emprego e muitos mimos.




Fonte: pintrest

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

XMAS

Família, sabem que gosto de simplificar o vosso trabalho, a carta ao pai natal está concluída...



Novo livro da Clara de Sousa


AnnaWesterlundCeramics

A Portuguesa






H&M

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

O PRESENTE IDEAL



O primeiro Natal da Sara foi desmedido, prendas e mais prendas, uma euforia, a família em êxtase, única filha e  primeira neta.
No segundo Natal tentámos controlar, mesmo assim a Sara, que já falava na altura dizia constantemente:"outra?"(uma semana a receber prendas e mais prendas da família e amigos). 
Hoje em dia considero que foi um consumo exacerbado, isto porque, traduz-se no contentamento dos pais em ver os filhos abrir prendas, para no final a criança pôr os brinquedos de lado e  brincar só com o que mais gostou , que por norma é o mais simples (uma bola, plasticina, ou uma miniatura).
Muitos de nós pais temos dificuldade em armazenar tanto brinquedo e "tralhas", que acabamos por colocar no sótão ou doar os brinquedos mais antigos, todos os anos uma escolha, em cada divisão da casa uma caixa de brinquedos!!!! 
Nós pais estamos sempre a aprender, e como tal, agora quem escolhe a prenda são as minhas filhas,(uma prenda) nada de imposições para encher o olho...
Este ano não vamos cair em tentação, a Sara já sabe o que quer e a Eva adora o Panda, o resto da família também contribui, prendas não vão faltar, a nossa carteira agradece e assim podemos investir dinheiro naquilo que realmente importa para elas, a sua formação.


A escolha das minhas princesas......


Princesa Sara

 Princesa Eva

Simples....

DECORAÇÃO XMAS






Fonte: algodão docinho

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

A IDEIA DA SARA


De carro passámos por um "acampamento" de étnia Cigana, a Sara muito admirada diz: "Oh, mãe olha para aquelas casas"!!!! Tentei explicar de forma simples: "sabes filha, são pessoas pobres!"
Sara: porquê?
Eu: porque não tem emprego?
Sara: tenho uma ideia!!!! o pai arranja trabalho para eles, a mãe cuida do jardim com a mana e eu arranjo as casas... as paredes e isso...
O silêncio instalou-se por instantes, olhei para o marido e não resisti....temos uma filha maravilhosa!!!! um orgulho, e seguimos viagem com um sorriso nos lábios, enquanto ela continuava: blá blá blá blá...